Glândula pineal

glandula_pineal

Sobre a glândula Pineal

Os povos antigos a conheciam os gregos a nomearam os romanos a descreveram.
Os hindus a associaram ao chácara da coroa, um dos sete centros espirituais do corpo.
Mais ninguém sabia realmente para que servia.
Os anatomistas gregos observaram que sua aparência.
Que era de um pequeno cone em forma de pinha daí o nome glândula pineal.
Na década de 50 os misterios da glândula pineal começaram a ser desvendados.
Embora fosse necessário mais três décadas para montar o quebra-cabeça
Inicialmente os pesquisadores descobriram que a glândula pineal secreta uma substância.
Que seria quimicamente relacionada ao hormônio seratonina.
E ao pigmento da pele, a melanina; Daí o nome melatonina.
A glândula pineal estar localizada no interior do cérebro e conectada diretamente aos olhos.
A glândula pineal recebe informações sobre claro e escuro e escuro.
E traduz essas informações em um sinal químico que regula os ritmos do corpo.

Produção de melatonina pela glândula pineal

A glândula pienal produz menos melatonina a medida que envelhecemos.
Onde a partir aos 30 anos nossa produção de melatonina já diminui bastante.
A glândula pineal pode sofrer interrupções e ter sua secreção afetada por outros fatores.
Como estresse, poluição, estimulantes e claridade.
Hoje já existe técnicas e tratamentos naturais para retardar este processo.
Através de dietas especificas, exercícios e suplementos de melatonina.

Como identificar baixos níveis de melatonina ?

Os indicadores de baixos níveis de melatonina são um sono intranquilo.
E acordar cansado e passar o dia com fadiga e indisposição.
Se seus níveis de melatonina estão baixos.
É porque sua glândula pineal não estar funcionando corretamente.
Ou por algum fator externo ou interno estar inibindo seu funcionamento.
Porém para verificar a fundo seus níveis de melatonina consulte um médico especialista.